A realidade não aponta para utopias

“Mas, além das questões mais pessoais, será que sentimos instintivamente a ameaça de uma força estranha? Algo que pode extirpar nossa humanidade e nos transformar em sonâmbulos desfigurados, reduzidos ao canibalismo?”

>> Leia no Ecoa.